sem comentários ainda

Mediunidade. Como a queda-dágua, pode nascer em qualquer parte.

Segunda-feira, 5 de fevereiro, às 19:30h, terá início no Centro Espírita Semente Cristã, o Estudo da Mediunidade, direcionado à jovens e adulto em quem a mediunidade já se faz presente, necessitando do devido ajuste através do estudo e da prática mediúnica.

Como nos diz Emmanuel, para que a mediunidade se converta em manancial de auxílio perene, é imprescindível que a Doutrina Espírita lhe clareie as manifestações e lhe governe os impulsos.

Sim, meu amigo, observa a cachoeira que surge aos teus olhos. É um espetáculo de beleza, guardando imensos potenciais de energia. Revela a glória da Natureza.
Destaca-se pela imponência e impressiona pelo ruído.
Entretanto, para que se faça alicerce de benefícios mais simples, é indispensável que a engenharia compareça, disciplinando-lhe a força.
É então que aparece a usina generosa, sustentando a indústria, estendendo o trabalho, inspirando a cultura e garantindo o progresso.
Assim também é a mediunidade.
Como a queda-dágua, pode nascer em qualquer parte.
Não é patrimônio exclusivo de um grupo, nem privilégio de alguém.
Desponta aqui e ali, adiante e acolá, guardando consigo revelações convincentes e possibilidades assombrosas.
Contudo, para que se converta em manancial de auxílio perene, é imprescindível que a Doutrina Espírita lhe clareie as manifestações e lhe governe os impulsos.
Só então se erige em fonte contínua de ensinamento e socorro, consolação e bênção.
Estudemo-la, pois, sob as diretrizes kardequianas que mos traçam seguro caminho para o Cristo de Deus, através da revivescência do Evangelho simples e puro, a fim de que mediunidade e médiuns se coloquem, realmente, a serviço da sublimação espiritual.

EMMANUEL
(Página recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, na noite de 21/10/56, em Pedro Leopoldo.)

Publicar um comentário